kitty blog

O que me vai na alma...

domingo, dezembro 31, 2006

Mãe...


Porque a quem devo a minha vida, e tudo o que nela existe, venho te dizer "obrigado"!!

Quando li este texto, que se encontra abaixo, achei que não há nada melhor para dizer que amo a minha mãe, e que é a minha mãe! Assim te dedico um texto de Paulo Geraldo...espero que gostes mãe...


"Obrigado porque tiveste na tua vida um lugar para a minha vida, renunciando a tantas coisas boas que poderias ter saboreado. Porque - mais do que isso - fizeste da tua vida um lugar para a minha. E de muitas maneiras morreste para que eu pudesse viver.
Porque não eras corajosa, mas tiveste a coragem de embarcar numa aventura que sabias não ter retorno.
Porque não fizeste as contas para avaliar se a minha chegada era conveniente: abriste simplesmente os braços quando eu vim.
Porque não só me aceitaste como era, como estavas disposta a aceitar-me fosse eu como fosse. Porque dirias "o meu filhinho" mesmo que eu tivesse nascido deformado e me contarias histórias ainda que eu tivesse nascido sem orelhas. E me levarias ao colo mesmo que eu fosse leproso. E, mesmo com tudo isso, me mostrarias com orgulho às tuas amigas. Porque seria sempre o teu bebé lindo.
Devo-te isso, embora não tenha acontecido, porque o farias.
Obrigado porque não tiveste tempo para visitar as capitais da Europa. Porque as tuas amigas usavam um perfume de melhor qualidade que o teu. Porque, sendo mulher, chegaste a esquecer-te de que havia a moda.
Porque não te deixei dormir e estavas sorridente no dia seguinte. Porque foste muitas vezes trabalhar com manchas de leite na blusa. Porque me sossegaste dizendo "não chores, filho, que a mãe está aqui", e estar no teu regaço era tão seguro como dormir na palma da mão de Deus.
Obrigado porque é pensando em ti que posso entender Deus.
Obrigado porque não tiveste vergonha de mim quando eu fazia birras nos museus, ou me enfiava debaixo da mesa do restaurante porque queria comer um gelado antes da refeição. E porque suportaste que eu, na adolescência, tivesse vergonha de que os meus amigos me vissem contigo na rua.
Obrigado porque fizeste de costureira e aprendeste a fazer bolos. Porque fizeste roupas e máscaras para as festas da escola. Porque passaste uma boa parte dos fins de semana a ver jogos de rugby ou de futebol para que - quando eu perguntasse "viste-me, mãe, viste-me?" - pudesses responder com sinceridade e orgulho "é claro que te vi!".
Obrigado por o teu coração ser do tamanho de me teres dado irmãos. Como eu seria pobre se não os tivesse!
Obrigado pelas lágrimas que choraste e nunca cheguei a saber que choraste.
Obrigado porque me ralhaste quando me portei mal nas lojas, quando bati os pés com teimosia, quando "roubei" batatas fritas antes de o jantar estar servido, quando atirei a roupa suja para um canto do quarto. Obrigado por me teres mandado para a escola quando não me apetecia e inventava desculpas. E por me teres mandado fazer tarefas da casa que tu farias bem melhor e muito mais depressa.
Obrigado por teres mantido a calma quando eu num dia de chuva fui consertar a bicicleta para a cozinha, ou quando arranjei uma namorada de cabelo verde...
Obrigado por teres querido conhecer os meus amigos, e por todas as vezes que não me deixaste sair à noite sem saberes muito bem com quem ia e onde ia.
Obrigado porque eu cresci e o teu coração parece ter também crescido. Porque me deste coragem. Porque aprovaste as minhas escolhas, e te mantiveste a meu lado apesar de ter passado a haver a distância. Porque levantas a cabeça - mesmo sabendo que eu estou muito longe - quando vais na rua e ouves alguém da multidão chamar: "mãe!".
Obrigado por guardares como tesouros os desenhos que fiz para ti na escola quando era, como hoje, o Dia da Mãe. E por ficares à janela a ver partir o carro, quando me vou embora, comovendo-te com os meus sinais de luzes.
Obrigado - já agora... - por não teres esquecido quais são os meus pratos favoritos; por o sótão da tua casa poder ser uma extensão do sótão da minha casa; por teres ainda no mesmo lugar a lata dos biscoitos..."


Paulo Geraldo

segunda-feira, outubro 23, 2006



"Não confundir o amor com a paixão dos primeiros momentos, que pode desaparecer. O verdadeiro carinho cresce na medida em que os dois estão mais unidos, porque partilham mais. Mas para partilhar é preciso dar. Dar é a chave do amor. Amor significa sempre entrega, dar-se ao outro. Só pelo sacrifício se conserva o amor mútuo, porque é preciso aprender a passar por alto os defeitos, a perdoar uma e outra vez, a não devolver mal por mal, a não dar importância a uma frase desagradável, etc. Por isso o amor também significa exceder-se, fazer mais do que é devido."



(J. L. Lorda)

sexta-feira, julho 21, 2006

Tu...



És o sol que me aquece
És a luz que me ilumina
És o ar que me entontece
És estrela que no céu brilha.

És campo em tempo de Outono
És flor que reluz ao luar
És a pagina de um conto,
Que tem por título Amar...

És rio que passa a correr
Com vontade de chegar
És fonte que dá de beber
A quem se quer saciar.


És chuva em dia de Agosto
És terra molhada no Verão
És praia depois do sol posto
És luz no meu coração...

J. S.

segunda-feira, julho 03, 2006

Noite de Espuma...

Grande noite, no Sound Planet, apesar de não ter quase clientela, para a disco que é... mas pronto há sempre que vá até lá, e ainda se divirta! :)

A nossa primeira Festa da Espuma! xelente, divertida, do best...LOL melhor não podia ter sido :D

Eu e a susy, demos "vida" a disco, vejam o nosso estado no final!!!



sexta-feira, junho 30, 2006

Numa bela tarde.....

Hoje vou partilhar com vocês um episodio engraçado, que se passou comigo, na paragem do autocarro...


Vinha eu descansada da vida, direitinha pa paragem do autocarro, e como vi que não estava lá muita gente decidi ficar num sitio mais a frente da paragem, a sombra, pois ia ficar ali um bom bocado, a espera do autocarro!
Entretanto foram chegando mais pessoas, que acabaram por fazer a fila, começando em mim...que estava distante da paragem. Portanto nao me preocupei, em ter de ir para o sol.
E nisto, o autocarro não apareceu. Claro que há logo pessoas que gostam de implicar e mandam vir, etc... pois essas mesmas pessoas (2 senhoras), repararam que haviam passado a frente de toda a gente, da fila inteira, outras 3 pessoas, que simplesmente não sabiam se era aquela paragem que apanhavam o autocarro que queriam, blabla... e pois ta claro, que essas 2 senhoras começam a mandar vir... e de quem era a culpa, daquelas outras 3 pessoas terem passado a frente da fila, era minha... LOL
É verdade, pois eu deixei "um buraco", assim dito pelas senhoras, entre a paragem e eu!!! Pois logo hoje que eu tava descansada da vida, haviam de me chatear na paragem do autocarro.
Eu, ao contrario do que se possa pensar, calmamente respondi:
"Desculpe, mas a senhora ficou ai porque quis, eu vim pa sombra, e fizeram a fila atras de mim... se viu que estava aqui "um buraco", podia te-lo ocupado"!!! LOLOL
Viraram-se as duas. nem disseram mais nada... há mesmo pessoas que adoram implicar, com tudo. Até na paragem do autocarro... eheh
Agora nem imaginem como foi quando chegou o autocarro, pobre motorista.... :D

segunda-feira, junho 19, 2006

Love...

E porque o amor esta sempre connosco...aqui esta um pequeno poema :D
Dedico-o a todos os que amam ou são amados de alguma forma!


You’re the thought that starts each morning,
The conclusion to each day.
You are in all that I do,
And everything I say.
You’re the smile on my face,
The twinkle in my eye.
The warmth inside my heart,
The fullness in my life.
You’re the hand that’s laced in mine,
And the coat upon my back.
My friend, my love,
My shoulder to lean on.
You’re my silly, mature, caring,
Thoughtful, bright, and honest guy.
The one who holds me tightly,
When I need to cry.
You’re the dimple in my cheek,
The ever-constant tingle in my soul.
The voice that makes me weak,
The happiness of my life.
You are all I’ve wanted,
You are all I need.
You are all I’ve dreamed of,
You are all of this to me.
- Melissa Collette -

segunda-feira, junho 12, 2006

Hino Nacional

Heróis do mar,
nobre povo,
Nação valente,
imortal,
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria, sente-se a voz
Dos teus egrégios avós,
Que há - de guiar-te à vitória!

Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!


Isto porque ganhamos o primeiro jogo do Mundial, e muitos mais viram, e temos que estar a altura, e puxar pela nossa selecção, e mesmo por todos os tugas!!!
Parabéns a nossa equipa! Mas nos queremos ainda mais!